O dia em que ele voltou

Esperar um namorado é viver ansiosa.

É não parar de pensar nele um segundo sequer, mesmo quando você está fazendo outras coisas. Imaginar o que colocar na próxima caixa, o que escrever na próxima carta. É se esforçar de todas as formas para transmitir todo o seu amor através delas.

É sonhar acordada. Lembrar dos momentos anteriores à ida dele, e sonhar com os momentos que virão. Se imaginar no aeroporto todas as noites. Sorrir, só de lembrar de alguma piada que ele contou há muito tempo, ou de quando ele disse que te amava pela primeira vez.

Esperar um namorado também é chorar. É ter medo. É ouvir muita gente dizer que não vai dar certo. E é ter certeza de que eles estão errados.

Mas aí chega um dia que a espera acaba…

Anúncios

Férias + Top 5 posts preferidos de 2013!

Oi pessoal! 😀

Fazer a apresentação do último trabalho do semestre e a professora mais exigente de todas ainda dizer “ficou ótimo, mesmo!” pra nós, não tem preço! Estou tão feliz!

E agora que estou oficialmente de férias da faculdade e recesso do trabalho, podem se preparar para posts e mais posts com vídeos e tudo que vocês têm direito!

Como estamos no fim do ano e tem toda aquela coisa de retrospectivas, decidi fazer um Top 5 dos posts do Blog mais acessados e os que mais gostei do ano! Eu espero que vocês gostem de relembrar um pouquinho comigo, e estejam tão animadas quanto eu para 2014!!!!

(É só clicar na imagem pra conferir o post! 🙂 )

11

2

3

4

5

Este ano foi muito especial!!!!

Beijinhos!

Especial Nossa Missão – Companheiras de Espera

Já faz um tempo que não posto no Nossa Missão. Hoje vim com a melhor dica de espera de todas: As companheiras!

Eu te garanto, haverá dias melhores e dias difíceis nessa jornada. Por mais preparada que você esteja, por mais feliz ou orgulhosa que você esteja dele, por mais que ele envie cartas todos os dias – se ele o fizer, seja grata! -, e por mais fotos, vídeos e e-mails que você tenha dele, sempre terá o dia Trunky. Aquele dia que a única coisa que você quer é um abraço dele, um carinho ou pelo menos um “Oi”.

Mas, nós sabemos que não é possível! E o que fazer?

Mesmo que você neste momento não acredite (ou talvez sim), há várias meninas que estão passando exatamente pela mesma situação e sabem muito bem o que você está sentindo! Há vários grupos no Facebook delas, elas estão por toda a parte! Se você não conhece nenhuma, está na hora de conhecer! Elas são as melhores companheiras que você pode ter neste momento! Afinal, o seu élder não tem companheiro? Por que você não pode ter?

Eu tive duas companheiras incríveis que me apoiavam, ajudavam e sempre ouviam o meu blá blá blá sobre meu élder! Assim como eu também tinha muito prazer em ouvi-las! Nós íamos fazer compras para as caixas de nossos amores juntas, fazíamos festas do pijama, saíamos para passear, ligávamos umas para as outras nos dias difíceis, conversávamos por hooooras e horas, entre muitas outras coisas que fazíamos juntas, como tirar fotos para eles!!!! 😀

Aimeé e Bia não sabem o quanto sou grata a elas por tê-las comigo na missão! Foi a melhor espera de todas ao lado delas! Mesmo que hoje não tenhamos tanto contato quanto antes, ainda tenho um amor e gratidão eternos por elas! ❤

Ah, e se você não tiver nenhuma companheira NM na sua cidade, converse com as do Facebook! Também encontrará amizades maravilhosas e um conforto incomparável! Você também pode organizar encontrinhos no Templo mais próximo para vê-las!!! Não tem nada melhor!!!

Beijinhos!

Nossa Missão – O Início do Início

Oi gente!

Hoje vim postar sobre Nossa Missão! Vamos nos preparar do início, tá? Sei que algumas de vocês já passaram dessa fase, mas temos que dar dicas para todas! Então vamos para pergunta que não quer calar: acabo ou não o namoro?

Como eu já contei na Nossa História, nós acabamos o namoro quando ele se foi para a Missão. Isso foi bom? Foi e não foi. Vamos por partes…

– Por que foi bom?

O bom de termos acabado o namoro antes foi porque pude perceber que ele era mesmo a pessoa com quem eu queria passar a Eternidade! Sim, eu namorei e percebi que não tinha jeito mesmo, era ele e pronto! Foi bom para ter esta certeza. Não é que eu não tivesse certeza de que o amava, mas eu não tinha a certeza de que podia esperar.

– Por que foi ruim?

Gente, eu não me orgulho de ter conhecido outros rapazes nesta época. Se era ele, eu queria que fosse só ele, mas aconteceu e não tem como voltar a atrás. Se você já tem certeza de que pode esperar o tempo que for preciso pelo seu amor, sugiro que não acabe o namoro! Se eu tivesse lido isto há quatro anos atrás, com certeza não teria acabado!

Uma terceira sugestão é que ore e pergunte ao Senhor. 🙂

Outra dica muito importante: certifique-se de que tem outras meninas na sua cidade que estão passando pela mesma experiência! Eu tive duas companheiras de Espera e foi maravilhoso!!! *-* Nós fizemos várias coisas legais juntas para nossos amores, além de sair juntas também para passear, fazer noites de pijamas e tirar vááárias fotos!!! Além do mais, ninguém mais vai ter tanta paciência de escutar TANTO sobre o seu amor quanto elas (e você escutar sobre os delas também, né?) Também tem grupos de NMs (Namoradas de Missionários) no Facebook, onde você vai se fortalacer bastante neste tempo!

1 2 3

 

O início é difícil? É! Quantas vezes me peguei olhando para o celular esperando uma ligação dele nos primeiros dias?

Mas aí eu me toquei. Que obra maravilhosa! Que fé que ele tem! Deixou tudo, me deixou, deixou a família, os amigos, o trabalho e os estudos para trabalhar por Deus! Que orgulhosa eu fiquei do meu amor! Fiquei tão feliz, tão feliz, que a felicidade se tornou muito maior do que qualquer tristeza ou saudade!

Fiquem felizes por esse trabalho!

Beijinhos!

Nossa História

 

Decidi começar a categoria Nossa Missão contando um pouquinho da nossa história.

2

 

Sabe quando você sente que as coisas vão acontecer de um jeito ou de outro?

 

Eu me lembro da Conferência dos Jovens da estaca. Eu tinha 13 anos.

Foi quando as minhas amigas começaram a dar uma atenção especial a um rapaz especialmente bonito da ala vizinha. Foi assim que o conheci de vista. Igor de Magalhães, o seu nome.

Começamos a conversar por MSN. No meu aniversário de 14 anos, as garotas me fizeram chamá-lo. Eu achava ele bonito, mas eu tinha meu amor platônico da juventude, por isso nunca dei muito valor. Mas sempre o achei legal.

O tempo passou e perdemos contato.

No ano em que eu completaria 16 anos, mudamos de ala. A ala dele, claro.

Foi um pouco engraçado como as coisas começaram a acontecer a partir daí, era natural. Eu estava sempre esperando por ele no seminário, sempre dando uma olhadinha discreta na sacramental. Não conversávamos muito, mas nos olhávamos sempre.

No meu aniversário de 16 anos, ele foi o primeiro a chegar. Ficamos sozinhos, os dois sentados na mesa, constrangidos… tentando conversar sobre qualquer coisa.

Um tempo depois, teve um show de talentos na estaca. Nossa ala ia apresentar High School Musical, e – não sei se por coincidência – eu fui escolhida para Gabriella e ele, o Troy. Dançamos juntos Breaking Free –

Ao fim da apresentação, de mãos dadas e olhando um pro outro, com as cortinas fechando e alguns amigos embaixo do palco gritando “beija, beija!” foi quando percebi que havia algo diferente comigo.

Pouco tempo depois, ele finalmente me disse (por msn) que estava a fim de mim. Perguntou se tinha chances.

Naquele sábado eu fiquei radiante! Saltitava e cantarolava o tempo todo.

No domingo à noite, depois de um serão, fomos conversar. Fui logo direta, disse que não queria “ficar”.

 

–    Só quero namorar.

Ele falou “tá” como se fosse a coisa mais lógica do mundo.

–    Tá? – “Tão simples assim?”, eu pensei. Não entendo porque, mas achei que ele fosse hesitar um pouquinho.

–    É, tá.

 

E então, o primeiro beijo.

 

Até hoje ele diz que eu que o pedi em namoro. O coloquei contra a parede com uma doze na mão e o obriguei a namorar comigo. Meu palhacinho.

 

Poucos meses depois, já pensávamos em casamento. Depois da missão, claro.

Nós sabíamos que ficaríamos juntos, que casaríamos e construiríamos nossa família, não importava o que pudesse acontecer. Porque sabíamos do amor um do outro.

3

Eu estava disposta a esperá-lo na Missão. Havia uma amiga minha que esperava seu namorado e fiquei animada em me aproximar dela, porque em breve passaria pela mesma situação, e queria saber como é a experiência. Comecei a conversar mais com ela, mas ela vivia depressiva e sempre que tentava falar do namorado dela, ela mudava de assunto.

Pouco tempo depois, ela mandou uma carta azul pra seu namorado.

Me senti perdida, pois achava mesmo que eles se amavam e que se casariam! Fiquei arrasada, eu não queria fazer isso com meu amor! Eu não me perdoaria se o mandasse uma carta azul, fiquei com medo. Comecei a pensar que seria melhor acabar, comecei a pensar que dois anos era muito tempo.

Conversei com ele e disse que não o esperaria. Conversamos muito sobre isso. No início ele não concordava, mas depois aceitou.

Namoramos 2 anos, 2 meses e 2 dias, a melhor época da minha vida. E então, ele foi pra missão. Nos dois anos de namoro nunca tinha visto o Igor chorar. Mas naquela noite, até o céu chorou por nós.

O Igor com lágrimas no rosto foi a coisa mais linda que eu já vi. E também a mais triste.

Mantíamos contato por e-mail e, esporadicamente, ele me mandava cartas. Ele dizia que me amava e eu dizia pra ele se concentrar apenas na missão.

Nessa época eu estava perdida. Eu não estava lendo as escrituras, mal fazia minha orações. Era como se ele tivesse levado toda minha espiritualidade junto com ele naquele avião. Eu estava confusa, e principalmente carente. Muita coisa estava acontecendo na minha vida, e eu estava sofrendo muito. Me relacionei com alguns meninos.

Eu falava muito no Igor, e então eu percebi e um deles também:

–    Você ainda ama o Igor.

 

Fiquei tão feliz ao notar que ele tinha razão! Eu nunca deixei de amar o Igor!

Algum tempo depois foi o casamento da irmã do Igor no Templo e o presidente de missão dele deixou que ele assistisse. Eu fui convidada para as fotos.

Eu o vi… e foi como se nada mais importasse. Nós não podíamos nos tocar, mal conversamos e na verdade, ficamos pouco tempo um perto do outro… mas eu sabia que o amava e tive a certeza de que o esperaria o tempo que fosse preciso. Foi como olhar nos seus olhos de mãos dadas enquanto as cortinas se fechavam: a certeza de que tinha algo de maravilhoso ali, na minha frente.

A certeza de que íamos ficar juntos para sempre, de um jeito ou de outro.

1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Antes de irmos, ele pediu pra ver um dos meus anéis. Eu disse que ele podia ficar com ele, então ele me deu um dele (que não cabia em nenhum dos meus dedos, mas passei a usar num colar).

Admito que quando fui embora fiquei muito triste. A saudade foi tanta que passei dias me sentindo mal, como se faltasse algo. Uma semana depois, pedi por e-mail pra voltarmos, e ele disse que foi o melhor dia da missão dele!

A partir daí, virei uma pessoa completamente diferente. Comecei a ler o Livro de Mórmon, a refazer o Progresso Pessoal. Passei a entender melhor o evangelho e fiquei mais sensível ao Espírito. Ganhei um novo amor fraternal pelos missionários, comecei a entender o trabalho deles, a me preocupar com eles. E com as outras pessoas também.

Aprendi um novo hábito de entrar nas lojas e pensar nele. Comprar coisinhas aqui e ali e criar. Fazer caixas e cartas. Chorar com filmes de casamentos e contos de fadas.

Eu virei uma nova espécie de moças valorosas. Virei uma NM.

Nossa Missão

DSCN0827Oi gente!

Como a maioria de vocês sabem, esperei meu amor enquanto ele servia em uma missão de tempo integral  em Recife pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Foi uma época maravilhosa de muito aprendizado e crescimento! Conheci muitas meninas maravilhosas que passaram (ou ainda passam) pela mesmo experiência!

Neste tempo aprendi a escrever cartas, amar as segundas-feiras de P-day, montar caixas enormes e usar minha imaginação! De repente também, passei a chorar em filmes românticos, a sentir o Espírito Santo e a amar mais e mais.

Então, decidi criar uma nova categoria no blog só para falar sobre estas experiências, especialmente para as NMs (Namoradas de Missionários)! 🙂 Tenho um material para mostrar para vocês, trechos de cartas/e-mails, videos e muuuitas fotos! Estão prontas? A partir de hoje começa a categoria Nossa Missão!

Beijinhos!